terça-feira, 4 de outubro de 2011

Como usar o ácido retinoico


Figurinha carimbada nas prescrições dermatológicas, o ácido retinoico tem propriedades excelentes: suaviza rugas, melhora a qualidade do colágeno e aumenta a firmeza da pele. Além disso, clareia e previne manchas escurecidas na pele e melhora sua textura. Ele também controla a oleosidade e previne erupções de acne nas pessoas com tendência a espinhas. Como se vê, méritos não faltam.
E tem mais: ele também serve como preparo da pele para procedimentos rejuvenescedores. Por exemplo, um peeling facial ou a ação de alguns laseres rejuvenescedores têm resultados melhores em pessoas que já estejam usando ácido retinoico.
O produto só tem pontos positivos, com exceção de raros casos de contraindicações e de alguns efeitos colaterais. Por causa desses efeitos, muitas pessoas têm dificuldade em usar o ácido retinoico. A essas pessoas dedico o texto de hoje.
Quais são as possíveis dificuldades?
Com frequência, o início do tratamento é difícil e incômodo. O produto resseca a pele. Ela fica sensível, avermelhada e descamativa. Como os benefícios são muitos, o importante nessa fase é respirar fundo e não desistir.
O ideal é começar a usar o produto lentamente, apenas em alguns dias na semana. Por exemplo, aplicar o creme com ácido retinoico somente em uma a cada três noites. Nas outras noites, usar um creme hidratante e regenerador. Se tudo correr bem, na terceira semana de tratamento usar o ácido uma noite sim, outra não. E no segundo mês de tratamento aplicar o produto todas as noites, ou pelo menos cinco noites por semana, com duas noites de descanso.
Se a pessoa for mais sensível ainda, e não conseguir usar o creme nem três noites na semana? Insisto: o importante é não desistir. Usar o quanto for possível. É melhor passar o creme uma vez na semana do que não passar. Em casos extremos, é possível deixar o creme agindo apenas por algumas horas, e depois enxaguar. Com o tempo, mesmo que demore meses, a pele se acostuma e fica mais resistente, e a pessoa aumenta o tempo e a frequência de uso.
Outras dicas que aumentam a resistência da pele:
- Aplicar com a pele bem seca: aguardar meia hora após ter lavado o rosto para passar o creme.
- Misturar o creme com um hidratante para peles sensíveis.
- Usar uma pequena quantidade e espalhar o máximo possível.
- Usar um produto com baixa concentração do ativo.
Se mesmo seguindo todas essas recomendações o ácido continuar a irritar a pele, provavelmente a pessoa seja intolerante ao produto. Nesse caso, o melhor pode ser usar outros ativos, felizmente eles existem.
O ácido retinoico deixa a pele sensível ao sol. Por isso, é preciso usar um filtro solar todos os dias durante o tratamento. Se a pessoa gosta de ficar sob o sol (não deveria), melhor suspender o uso do ácido durante o verão. E, nas grávidas e lactantes, ele é contraindicado.
O ácido retinoico é um medicamento vendido sob prescrição médica. Um ativo similar é o adapaleno, que também requer receita médica para a venda. É possível encontrar versões mais suaves do ativo nos chamados cosmecêuticos, de venda livre. São o retinol e o retinaldeído, que não possuem os efeitos incômodos do ácido retinoico, mas por outro lado, têm ação menos intensa.

Fonte: Veja

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito Obrigado pelo seu comentário ou depoimento!

ANTES de fazer uma pergunta referente ao post que você se interessou,por gentileza LEIA OS DEMAIS COMENTÁRIOS para saber se a sua dúvida JÁ NÃO FOI ESCLARECIDA.

Propaganda serão deletadas,caso queira anunciar alguma coisa mande um e-mail.

Críticas,sugestões ou elogios,favor enviar e-mail para ssmyblog@gmail.com.